main-header

Sindical completa 26 anos; frete e ampliação do consumo são desafios

O Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical) completou neste dia 8 de julho 26 anos de atividades. A entidade sindical patronal vê hoje como principais desafios ampliar o consumo entre os agricultores paulistas e a logística.

Com sede em Rio Claro, na região central do Estado, a entidade tem associados de vários portes. Eles atuam em diferentes regiões paulistas. Porém, parte das vendas abastece as plantações de laranja e cana de açúcar, segmentos que apresentam grandes variações nos negócios.

“Quando aplicado corretamente, o calcário aumenta o poder do adubo, que é um dos itens mais caros na planilha de custos do produtor rural”, afirma João Bellato Júnior, presidente do Sindical e vice-presidente da Associação Nacional dos Produtores de Calcário (Abracal).

Os excelentes resultados da agricultura nacional foram atingidos, em parte, pelo uso do calcário – que corrige a acidez natural das terras brasileiras. “Precisamos aprimorar o uso do corretivo, o que ampliaria ainda mais a produção de alimentos no Brasil”, diz Bellato.

O transporte é hoje um limitador do consumo. Mesmo assim, os associados do Sindical, distribuídos em todas as regiões paulistas, ofertam ao agricultor e ao pecuarista produto de qualidade, fruto de investimentos em pesquisas – muitas delas incentivadas pela entidade.

Nos últimos anos, o Sindical tem ampliado sua participação junto aos órgãos governamentais, para que a divulgação sobre os resultados gerados pelo ato de “calcariar”, como dizem os agricultores, seja mais intensa.

Ao mesmo tempo, realiza uma série de reportagens em seu site – www.sindical.com.br – no sentido de mostrar também a experiência de seus associados na área de gestão.

Conheça os objetivos do Sindical

I - Congregar os produtores de calcário e demais corretivos agrícolas, promovendo estudos, coordenação, proteção e representação legal da categoria militante na área de corretivo agrícola do Estado de São Paulo;

II - Colaborar com os poderes públicos, com as instituições e demais associações no sentido de solidariedade social e da sua subordinação aos interesses nacionais;

III - Desenvolver pesquisas para aprimorar o uso e a qualidade do corretivo a fim de proporcionar aumento da produção de alimentos do País;

IV - Atuar junto aos poderes legislativo e executivo, nas três esferas política-administrativas na proposição de políticas de desenvolvimento da indústria paulista de corretivo agrícola;

V - Atuar junto às demais entidades governamentais ou não, visando proporcionar o aumento da produtividade agrícola do País e o desenvolvimento da indústria nacional de corretivos.


Importância da Calagem

Cartilha - Metodologia Oficial de Análises de Corretivos de Acidez

Boletim Calcário 2017

Busca rápida

Login

Entrevista - Canal Rural

Espaço do Agricultor

YoutubeTwitterFacebook