main-header

Começa período de maior consumo de calcário no estado de São Paulo

materia1cal640O agronegócio paulista iniciou o período de maior consumo de calcário ao longo do ano. Quase metade do corretivo agrícola é vendido entre os meses de julho e outubro, quando a aplicação ocorre nas propriedades paulistas.

No ano passado, as empresas associadas ao Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical) entregaram, em média, 300 mil toneladas do produto por mês. Somente em agosto do mesmo ano, o consumo chegou a 450 mil toneladas.

Em solo paulista, cana e laranja são as principais culturas beneficiadas com a calagem.

Leia mais:Começa período de maior consumo de calcário no estado de São Paulo

A preocupante queda de produtividade na cana

cana132Vamos ao resumo dos fatos de julho. Em relação à cana, esta redução de ATR que vem sendo observada, se persistir é um fator preocupante para o final da safra. Já moemos nesta safra, até 15 de julho, 258,13 milhões de toneladas, 4% a menos que no mesmo período do ano anterior. Estamos com média de (CTC) 84,87 toneladas/ha, que é um pouco maior que os 82,11 toneladas/ha da safra passada. Porém a quantidade de açúcar na cana está 4% menor que na safra passada (ATR por tonelada está em 126,31 kg, e foi de 131,71 kg em 2018/2019). Não sabemos ainda o efeito da geada sobre o canavial, nas próximas análises da UNICA deve aparecer. Preocupante.

Leia mais:A preocupante queda de produtividade na cana

Mesmo com foco na produção de alimentos, consumo de calcário no estado de SP cresce abaixo do esperado

DestaquemateriacapaSC 0215Neste mês de julho, o Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical) comemora 30 anos de atividades.

Números de produção na indústria paulista e do consumo do produto no agronegócio paulista mostram a importância da entidade, bem como a da correção de solo – chamada de calagem. Porém, o avanço no emprego do corretivo ficou abaixo do necessário.

Em 30 anos, o consumo subiu 44,6%. Já a produção cresceu 45,4%. No caso do consumo, perto de 5 milhões anuais de toneladas, o recomendado hoje seria em torno de 7 milhões.

Leia mais:Mesmo com foco na produção de alimentos, consumo de calcário no estado de SP cresce abaixo do...

Bellato assume a Abracal, que passa a ter sede em SP

diretoria2019a DSC 0080O presidente do Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical), João Bellato Júnior, conduzirá também a diretoria da Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (Abracal).

A escolha ocorreu durante assembleia em Guarulhos (SP). Representantes de sete sindicatos estaduais de produtores participaram da assembleia e definiram, por aclamação, o nome de Bellato.

Na diretoria que encerra o mandato, Bellato, dirigente da empresa Partecal, era o vice-presidente da entidade nacional.

Leia mais:Bellato assume a Abracal, que passa a ter sede em SP

Conta calcário: especialista destaca retorno do investimento

ev2DSC 0029 a-2A conta calcário e fertilizantes pode ter seu custo reduzido, se for planejada de forma contínua. Na citricultura, por exemplo, atinge apenas 16% do custo operacional total. Suas melhores práticas apresentam baixo impacto perto do resultado que pode gerar para o agricultor.

A avaliação é de Frederico Fonseca Lopes, mestre em Administração pela USP. Coordenador do Agroperformance, projeto de estudos do agronegócio da Markestrat, Lopes fez palestra na Semana da Citricultura 2019, no Centro de Citricultura Sylvio Moreira, em Cordeirópolis (SP).

Leia mais:Conta calcário: especialista destaca retorno do investimento

Importância da Calagem

Cartilha - Metodologia Oficial de Análises de Corretivos de Acidez

Boletim Calcário 2017

Busca rápida

Login

Entrevista - Canal Rural

Espaço do Agricultor

YoutubeTwitterFacebook